Black Friday: principais números segundo o Google

Black Friday: principais números segundo o Google

Se seu negócio utiliza a data da Black Friday para aumentar o número de vendas, você deve criar o seu planejamento estratégico já levando em consideração todas as outras datas-chaves do fim do ano (Cyber Monday, 13º salário, Natal, Ano-Novo e férias). Isso se deve, porque, de acordo com os hábitos de consumo do povo brasileiro a melhor estratégia é pensar nessas datas como um todo, e não separadamente.

Como a Black Friday deste ano está chegando, neste post, vamos analisar pesquisas e dados sobre essa data, recentemente divulgados pelo Google. Assim, poderemos compreender o comportamento dos brasileiros e a como esta data se tornou importante. Além disso, no final do artigo há dicas de como realizar um planejamento para gerar mais vendas e alavancar seus resultados. Será que você está preparado para o dia 23/11?

A Black Friday veio para ficar

Originária da cultura norte-americana, a Black Friday chegou ao Brasil em 2010. Apesar de já estar enraizada em nossa cultura, ela demorou alguns anos para se consolidar. Por exemplo, até 2014, menos de 30% da população sabia do que se tratava essa data. Porém, hoje em dia, o cenário é outro. Só no ano de 2017, o montante das vendas durante a temporada de Black Friday atingiu R$ 2,1 bilhões. Como, atualmente, pelo menos metade dos brasileiros tem o hábito de fazer compras online, para elas, a Black Friday é uma ótima oportunidade de economizar

Porque algumas pessoas ainda não compram durante Black Friday?

De acordo com o estudo do Google, há 3 principais razões para quem não aproveita as ofertas durante a Black Friday. A primeira delas, é falta de dinheiro disponível para realizar compras. A segunda razão é a falta de confiança nas promoções. Eles não confiam nas promoções divulgadas, tendo em mente a questão da “Black Fraude” (quando algumas empresas são acusadas de inflarem os preços de seus produtos antes dessa data, para depois oferecer um “falso desconto”). E por fim, o terceiro fator é por acreditar que as promoções não valem a pena.

Fora esse grupo, há um pequeno grupo que ainda rejeita qualquer compra online. Essas pessoas ainda sentem medo ao realizar compras digitais, por receio de caírem em golpes ao disponibilizarem seus dados na internet.

Fonte: pesquisa Provokers jul/2018

Black Friday incentiva novos compradores

Os dados apresentados, nos mostram que há um grande número de pessoas dispostas a virar e-shopper. E a Black Friday é uma porta de entrada atrativa para elas.

Fonte: pesquisa Provokers jul/2018

Neste segmento, precisamos olhar para a Classe C. Nela está o maior potencial de novos entrantes para a categoria de compradores online, tanto para Black Friday, quanto para e-commerce em geral. Concluímos, então, que 90% das pessoas desta categoria não possuem o hábito de comprar online. E, 70% delas, nunca participaram de uma Black Friday. Além disso, as pesquisas mostram que, em 2017, a cada 10 novatos e-shoppers, 6 deles faziam parte da Classe C.

A Temporada do consumo próprio

O consumo despertado pela Black Friday tem características próprias. Nesta data, o objetivo do consumidor é aproveitar as ofertas para se presentear. Ou seja, adquirem produtos de alto valor agregado para si mesmo, ou para suas casas. Como por exemplo, o item mais vendido é o smartphone, seguido por televisões, computadores e geladeiras.

O atual cenário brasileiro de crise econômica, estimula o consumo consciente. Dessa forma, as buscas realizadas pelos consumidores são a sua arma mais poderosa. Eles pesquisam durante semanas, e até meses, quais são suas opções até chegar a sua decisão de compra.

De acordo com os dados acima, podemos perceber que o resultado desse planejamento é: um consumidor atento às suas opções e satisfeito com as ofertas que escolhe.

Quando esse resultado satisfatório é atingido, as pessoas querem repetir a dose. A maioria das pessoas que atingiram esse resultado, afirmaram que irão aproveitar a próxima Black Friday para comprarem mais. E mesmo as que não compraram, estão abertas a possibilidade de testarem.

Para 46% dos consumidores da Black Friday, o preço ainda é o principal motivador de compra. Porém, já existem outros motivos na equação.

Para que o cliente tenha um experiência agradável e completa na Black Friday, um fator importante é a mobilidade. Por isso, os aplicativos para smartphones e tablets são essenciais. Eles permitem que as pessoas pesquisem, ou comprem, a qualquer hora e qualquer lugar.

A Black Friday não é apenas digital

Apesar do digital ainda ser muito presente na Black Friday, essa realidade vem se modificando. A maioria dos compradores ainda são e-shoppers, com um total de 82%.  Porém, há pessoas que preferem migrar entre canais de vendas. Desta forma, elas utilizam a internet para finalizar compras realizadas em lojas físicas.

Durante a temporada da Black Friday, os destinos procurados no aplicativo Waze, confirmam que a experiência de compras passa por vários canais de vendas:

Fonte: Dados internos do Google

 

Tem espaço para a Black Friday e para o Natal

Apesar das datas serem próximas, a Black Friday não dificulta as vendas natalinas. Como o comportamento de consumo é bem diferente, uma data não anula a outra.

Isso porque, durante a Black Friday, as pessoas consomem bens duráveis, como eletroeletrônicos, eletrodomésticos e móveis. Já no Natal, a busca é por outro tipo de produtos, como roupas, brinquedos, cosméticos, bebidas, e demais itens pessoais. Além dessa diferença, a quantidade também se diverge, tendo como uma média maior de itens consumidos por uma única pessoa na Black Friday.

Isso se deve ao fato de que o Natal é visto como época para presentear outras pessoas, e a Black Friday é para si próprio.

Cyber Monday: a promoção depois da promoção

Para quem não sabe, a Cyber Monday é a Segunda-feira seguinte a Black Friday. Está estratégia está voltada para complementar a Black Friday. As marcas apostam em promoções bem específicas. Por exemplo, como a Black Friday é uma temporada de compras em excesso, é uma boa oportunidade de oferecer serviços financeiros na Cyber Monday.

Como o item mais adquirido durante a Black Friday é o smartphone, outro serviço muito adquirido após essa data são as assinaturas de planos pós-pagos de telefonia móvel. Uma boa oportunidade para empresas de telefonia investirem na Cyber Monday.

Dicas para a próxima Black Friday

1) Aproveite as oportunidades on e offline

Esta data é uma oportunidade perfeita para trabalhar a integração entre os canais de vendas físicos e digitais. Certificando, assim, que o consumidor terá uma experiência agradável e completa em todos os pontos de contato com a marca.

Ainda que o online seja enorme durante a Black Friday, como falamos anteriormente, muitos consumidores estão optando por realizar suas compras offline, ou retirando as compras feitas digitalmente nas lojas físicas.

Levando em consideração o papel essencial do mobile nesta jornada de consumo, sua empresa precisa estar apta para auxiliar seu público em qualquer canal e lugar, a qualquer hora. Por isso, atente-se à velocidade de carregamento do seu website. Dê atenção ao app, os downloads tendem a aumentar em 233% na semana da Black Friday: certifique-se que o seu aplicativo tenha uma boa usabilidade, seja rápido, prático e didático.

2) Não apareça de última hora

Como vimos, logo no início desse post, a etapa do planejamento é muito importante para o consumidor. Como o consumo é consumo consciente, sua decisão de compra se baseia nas pesquisas previamente feitas. E como a concorrência é bem grande, nem sempre o consumidor se mostra fiel a uma marca que já está acostumado a comprar. Por isso, é importante investir esforços em cada etapa da jornada de compra, compreendendo os sinais de intenção, e criando um relacionamento profundo com o seu público.

Outro dado que reafirma essa dica, é que as pessoas estão mais propensas a conhecer marcas novas durante a Black Friday. O que pode ser uma ótima oportunidade para as lojas e serviços em geral.

3) Não acaba na sexta-feira

A Black Friday é a primeira data de uma temporada de consumo, após temos: Cyber Monday, 13º salário, Natal, Ano-novo, e o saldão pós Réveillon. A partir daqui iremos mostrar como cada uma dessas datas possuem características próprias e não se tornam um obstáculo uma para as outras.

Além do mais, um total de 40% das compras ocorrem durante fora desse período de Black Friday. Isso ocorre por consequência de ofertas pontuais, atraindo consumidores que possuem uma intenção bem específica de compra. Como por exemplo, serviços financeiros e planos de telefonia móvel.

Portanto, fique alerta a qualquer sinal de intenção de compra ao longo dessa temporada de compra que irá iniciar na Black Friday. Uma boa estratégia é a geração de leads, atraindo o interesse do seu público-alvo antes mesmo dele iniciar as pesquisas da temporada. Afinal, uma boa experiência, fideliza o cliente.

Artigos Relacionados