Como reconhecer fake news nas redes sociais?

Como reconhecer fake news nas redes sociais?

O termo fake news vem cada vez sendo mais usado em todo o mundo, desde a eleição presidencial norte-americana de 2016, por ter sido muito usada por Donald Trump. Em 2018, as redes sociais passaram a divulgar atualizações no combate a notícias falsas, principalmente após o escândalo de privacidade envolvendo o Facebook. No episódio, a firma de análise de dados Cambridge Analytica usou dados de usuários da rede social do Mark Zuckerberg sem autorização em campanhas de publicidade para manipular a opinião pública na última eleição presidencial dos Estados Unidos e no referendo que levou o Reino Unido a deixar a União Europeia. A manipulação incluía a veiculação de fake news e nós explicamos todos os detalhes do caso aqui no blog. Você pode conferir o artigo clicando aqui. No artigo de hoje, vamos te mostrar como reconhecer fake news nas redes sociais. Mas, antes, vamos explicar quais são as implicações desse tipo de conteúdo e porque você ficar atento.

 

Consequências das Fake News

Como abordado anteriormente, a veiculação dessas notícias falsas foram responsáveis pela manipulação da eleição norte-americana para presidente em 2016 e no Brexit, que ocorreu em 2017. Acontece que uma empresa de um marqueteiro político brasileiro era sócia da Cambridge Analytica. A parceria foi desfeita após o escândalo e o dono confirmou que esse método de manipulação da opinião pública seria utilizado durante as eleições presidenciais brasileiras de 2018. Portanto, as fake news representam um grande impacto para a população brasileira. Um fato a se destacar é que o marqueteiro político brasileiro não descartou que volte a firmar uma parceria com a Cambridge Analytica no futuro, ou seja, a empresa pode voltar a criar estratégias para manipular eleições no Brasil através de fake news. Se você não deseja ser manipulado, precisa ser mais cuidadoso com o que compartilha nas redes sociais. Confira agora alguns passos de como reconhecer fake news.

1) Leia antes de compartilhar:

Não curta, comente ou compartilhe nada antes de ler o conteúdo inteiro. Se é uma notícia compartilhada de um site, não leia apenas a manchete. Clique no link e leia a matéria completa. Segundo uma pesquisa realizada pela revista Forbes, 59% dos usuários que compartilharam uma matéria não a leram na íntegra. Isso significa que mais da metade dos usuários podem estar compartilhando fake news sem saber, porque simplesmente acreditaram nas poucas informações que estavam no link no Facebook, por exemplo. Vale ressaltar que é possível que detalhes como a imagem de destaque e até a própria manchete sejam alteradas. Trechos da própria matéria, mas descontextualizados, como a fala de um entrevistado, por exemplo, podem ser colocados na legenda. Ou até mesmo trechos que não fazem parte da notícia podem ser inseridos lá.

 

Depois de clicar na matéria, não preste atenção apenas ao conteúdo, mas também se a reportagem traz elementos característicos do estilo jornalístico, como quando e onde o fato aconteceu e os nomes e cargos dos envolvidos. Observe também se há erros de gramática e de ortografia. Um ou outro podem acontecer até em grandes veículos de reportagem, mas uma quantidade excessiva pode ser um indício de se tratar de uma fake news. Outro elemento presente em textos jornalísticos produzidos por grandes veículos é ouvir todos os lados. Os dois lados de um fato podem não ser tratados da mesma forma, mas sempre são ouvidos. Desconfie se a notícia abordar um ocorrido com um político, por exemplo, mas não procurá-lo para dar explicações.

 

2) Verifique se a notícia é de uma fonte confiável:

Existem sites criados exclusivamente para divulgar notícias falsas ou sensacionalistas. Para descobrir se você está compartilhando a matéria de um desses veículos ou de uma página de jornalismo real, siga alguns passos, como verificar o link da matéria.Muitos portais de fake news usam nomes similares ao de veículos jornalísticos confiáveis. Veja se o nome está escrito corretamente e, se tiver dúvidas, digite o nome do veículo no Google e compare os links dos resultados. Um número a mais já pode ser sinal de que você está acessando uma página que está se passando por outra. Você também pode navegar pelo site da notícia que deseja compartilhar e ler mais sobre a empresa na página “Sobre” e se a mesma possui informações de contatos ou de responsáveis. Se as informações não baterem, é mais uma evidência de que pode ser uma notícia falsa.

Você também pode checar outras notícias do mesmo site e verificar se há um tom sensacionalista nelas ou muitos erros ortográficos ou gramaticais. Você também pode verificar se são notícias verdadeiras seguindo o terceiro passo de como reconhecer fake news.

 

3) Pesquisa sobre o fato noticiado no Google:

Uma forma de verificar se uma notícia é falsa é pesquisar se o mesmo fato foi noticiado por outros veículos. Copie a manchete da notícia e cole no buscador do Google. Faça o mesmo com informações divulgadas  e compartilhadas em um áudio do WhatsApp. Se a busca só gerar links de páginas desconhecidas, suspeitas ou de blogs ligados a um dos grupos envolvidos no fato, você pode estar com uma fake news em mãos. O mesmo acontece caso apenas a fonte que você já tem mãos estiver veiculado notícias sobre aquele fato. Matérias importantes, como envolvendo políticos e celebridades, costumam ser rapidamente veiculadas por diversos veículos. Desconfie se apenas uma mídia noticiou tal fato. Veja se aquela informação encontra-se em sites de veículos jornalísticos confiáveis, que são conhecidos e possuem credibilidade. Você também pode pesquisar em sites dedicados a combater fake news. Aqui no Brasil, os mais conhecidos são o E-farsas, Aos Fatos e a Agência Lupa. Você também pode consultar as fontes oficiais, buscando informações em portais de transparência do governo, por exemplo.

 

4) Atenção extra:

Por último, você pode confirmar se é uma informação verdadeira verificando a data da publicação daquela notícia, por exemplo. Matérias que foram veiculadas anos antes podem voltar a ser compartilhadas como uma forma de manipulação ou ainda por falta de atenção na hora de verificar quando aquele fato ocorreu. Também é importante sempre desconfiar de áudios no WhatsApp. Uma pessoa pode dizer em áudio que se trata de uma pessoa com cargo importante, como um delegado, e repassar informações envolvendo “toque de recolher”, por exemplo. Mas, o que te garante que é, de fato, essa pessoa? Ou, em outro caso, um áudio de um cidadão qualquer afirmando ter informações privilegiadas sobre a prisão de um político. O que te garante que é verdade? Sempre pesquise pelos fatos, verificando sua veracidade, antes de compartilhar. Por último, atente-se que rede social não é terra de ninguém. Por isso, você e nem ninguém podem falar o que bem desejam. Você pode ser processado por alguém caso veicule uma calúnia ou difamação sobre essa pessoa. Ou também você pode acabar perdendo uma oportunidade de emprego se a empresa que deseja achar que você faz mal uso das suas redes sociais, o que inclui compartilhamento de conteúdos indevidos.

 

Gostaram dessas dicas de como reconhecer fake news nas redes sociais? Espero que ajude vocês daqui em diante! Caso tenha outra dica que não encontrou aqui, compartilhe conosco por aqui ou através de nossas redes sociais. Obrigada pela leitura e boa semana!


Gostou deste artigo? Inscreva-se na nossa newsletter para receber mais notícias!

Artigos Relacionados