Hiperespecialização do trabalho: você está pronto para se adequar?

A hiperespecialização do trabalho é a realidade no mercado, ainda que muitas pessoas ainda não se deem conta disso.

Antigamente tínhamos a divisão do trabalho clássica, cujo resultado é o aumento da produtividade das empresas. Juntando tecnologia e inovação, hoje vivemos um estágio mais avançado dessa divisão do trabalho: a hiperespecialização, proporcionada pela transformação e revolução da comunicação e das tecnologias.

Ma afinal, o que é a hiperespecialização?

A hiperespecialização é um modelo de trabalho que faz com que os funcionários não fiquem mais responsáveis por todas as etapas de uma tarefa. Como assim? Os projetos são transformados em várias outras tarefas menores que são então designadas a funcionários altamente especializados na execução dessas tarefas específicas.

Hiperespecialização é a mesma coisa que terceirização?

A hiperespecialização não está ligada exclusivamente a terceirização, já que essa divisão de tarefas pode ser feita através de cargos internos nas empresas.

Benefícios da hiperespecialização

Para as empresas, o fenômeno da hiperespecialização traz um enorme aumento na qualidade do que é produzido e diminuição do tempo total gasto com as tarefas e com retrabalho, pois esse modelo faz com que seja mais difícil os erros passarem desapercebidos.

A hiperespecialização traz um aproveitamento maior do tempo dos profissionais e tira o peso da execução de tarefas que não são sua especialidade, e que por isso, levam mais tempo para realizar. Pense em quanto tempo você mesmo gasta realizando tarefas que não são o foco do seu trabalho: esse tempo poderia ser melhor utilizado para uma performance de maior qualidade!

Imagine essa situação: a CEO de uma empresa tem uma nova oportunidade de negócio. O cliente é importante, e ela quer impressionar na apresentação. Para isso, ela sabe que deve investir na montagens dos slides que vai utilizar, e acaba dedicando um tempo além do que deveria para a execução dessa tarefa. Além do esforço envolvido, ela não entende muito de design, pois sua especialidade é outra, e isso faz com que a tarefa se arraste por mais tempo ainda.

Com o modelo de hiperespecialização, a montagem e o design da apresentação de slides poderia ser feita por uma pessoa especializada nisso, como um designer. Assim, a CEO poderia utilizar o tempo que ela levaria fazendo a apresentação para se  preparar mais ainda para sua reunião. O resultado do trabalho como um todo, seria mais eficiente e de maior qualidade – esse é o grande diferencial desse modelo.

Segundo alguns estudos, a hiperespecialização também traz benefícios econômicos, pois aumenta a velocidade de entrega das tarefas e permite a produção de um trabalho com maior qualidade se comparado a trabalhos feitos dentro dos modelos tradicionais, e que no fim gera uma economia de até 25%.

O que você acha disso? A hiperespecialização já é implementada na sua empresa? É uma nova forma de trabalhar que veio para ficar.


Gostou deste artigo? Inscreva-se na nossa newsletter para receber mais notícias!