Geração Z na Pandemia: Como consomem os nativos digitais?

Geração Z na Pandemia: Como consomem os nativos digitais?

Quem faz parte da geração Z ou dos nativos digitais? Todas as pessoas que nasceram entre 1995 a 2010, marcadas pela forte presença da tecnologia em suas vidas, principalmente os nascidos depois de 2000. O comportamento de consumo, como era de se esperar, é diferente nessa fatia da população.

A pandemia e o distanciamento social impactou as pessoas de formas diferentes, e enquanto os dados mostram que a procura pelo comércio eletrônico e ferramentas de comunicação a distância foram as maiores mudanças nessa época de pandemia para grande parte da população, os nativos digitais acabaram sendo impactados de outra forma.

Isso porque as pessoas dessa faixa etária já nasceram acostumadas a utilizar o e-commerce e as ferramentas de bate-papo a distância. Por isso, o hábito de consumo deles foi alterado em outro patamar. 

Essa é uma tendência que também se aplica às outras gerações?

Como o comportamento de consumo da Geração Z mudou?

Pessoas pensam de formas diferentes com base em sua realidade e personalidade. Com a geração Z não seria diferente.

Porém, a pandemia fez com que o comportamento de consumo dos nascidos nessa época mudasse ainda mais em relação ao resto do mundo.

E os dados comprovam isso. Segundo relatório da Branding Together, 80% dos entrevistados da geração Z acreditam que em uma época de incertezas, as empresas devem trabalhar para fazer a diferença na vida do próximo, enquanto outras pessoas estão preocupadas majoritariamente com preços.

Essa mudança afeta principalmente os nascidos no final do século XX, que já trabalham ou estão na faculdade, por exemplo.

Por estarem com o futuro incerto, com a alta no desemprego, com a pandemia envolvida, necessitam controlar os gastos, ao passo que por serem heavy users da internet, são mais críticos e pesquisam mais antes de fazer uma compra. Dessa forma, isso faz com que pensem em vários fatores decisivos nas compras, que estão mais escassas.

Desejam conteúdos tranquilizantes

A falta de lazer fora de casa, como ir a bares, restaurantes, festas e outros tipos de entretenimento, fez com que as pessoas ficassem mais estressadas e procurassem formas alternativas de diversão.

A geração Z disparou na utilização das redes sociais, streaming de músicas, podcasts, jogos, dentre outros.

Portanto, a tendência é que a geração Z queira conteúdos mais leves, divertidos, transparentes e criativos.

Mudaram as prioridades

Um dos maiores motivos da mudança de comportamento de consumo dos nascidos entre 1995 e 2010 é a mudança de prioridades em relação a uma compra, o que gerou grandes insights para especialistas em marketing ao redor do planeta.

Agora, o foco é em comprar de comércios locais, empresas familiares, assim como no engajamento em causas sociais de forma geral.

A geração Z é mais engajada em causas sociais e em fazer doações online, por exemplo.

Querem marcas colaborativas

Os jovens querem mais do que um produto, querem provas de que as empresas realmente estão fazendo a diferença no entorno e o que podem trazer de interessante, principalmente em época de pandemia.

De acordo com um levantamento do Twitter, apenas 50% deles se sentem representados pelas companhias, sendo que o motivo que os levam a se sentir conectados com as marcas é a produção de conteúdo relevante e com valores semelhantes aos deles.

Isso leva ao questionamento: será que não é hora de inovar e vender experiências em vez de produtos apenas?

Como adaptar os processos empresariais para esse novo comportamento de consumo?

A geração Z é o reflexo do novo comportamento de consumo e a tendência é que outras fatias da população comecem a seguir esses valores na hora de comprar algum produto ou serviço.

2021 já começou com tendências e visões de grandes líderes, ideais para fazer pensar sobre o assunto.

Isso serve de insight para as empresas investirem em trabalhar com propósitos, e em fazer a diferença na sociedade se quiserem continuar competitivas no mercado.

Não se importe apenas em vender, mas em ser criativo, fazer o bem e, claro, se engajar com causas socio-ambientais.

Já pensou em como você pode fazer a diferença tanto no mercado como na sociedade? Conte para nós!

Agora que você já sabe sobre a mudança no comportamento de compra da geração Z, continue em nosso blog e aproveite para ler sobre marcas com propósito e valores fazem a diferença.