Mulheres no Youtube: Força feminina

As mulheres têm se apropriado do Youtube não somente em busca de apoio, mas também como uma importante ferramenta de ação. Saiba mais no artigo de hoje!

Mulheres no Youtube: Força feminina

Cada vez mais, o público feminino está ocupando espaço nas plataformas online, principalmente no Youtube. As mulheres  têm se apropriado da plataforma de vídeos não somente em busca de apoio, mas também como uma importante ferramenta de ação.

Elas geram conteúdo próprio, dão suporte umas às outras, escutam novas vozes e encontram outras formas de ver o mundo.

Continue a leitura e saiba mais sobre a força feminina no Youtube.

Mulheres no Youtube

Se você acompanha nosso blog, você já sabe que o Youtube é um universo em que criadores de conteúdo desenvolvem uma voz própria e encontram um público feito por pessoas que, entre outras coisas, querem se ver representadas e buscar uma identidade. 

No caso das mulheres, essa narrativa em primeira pessoa foi um caminho não só para se conectar com quem se interessa pelos mesmos temas, mas também para viver uma autodescoberta.

As mulheres representam a maior parte da audiência do Youtube. Dados do Think With Google, revelam que 37% das mulheres não fazem nenhuma outra atividade enquanto usam a plataforma.

Além disso, a pesquisa Video Viewers, realizada pela Provokers em 2018, revelou que metade das mulheres se sentem inclinadas a realizarem coisas novas após terem consumido algum conteúdo no Youtube.

As mulheres têm se apropriado do Youtube não somente em busca de apoio, mas também como uma importante ferramenta de ação. Saiba mais no artigo de hoje!

Força feminina antes e depois da era digital

Para melhor compreendermos o espaço que as mulheres estão ocupando no Youtube, é preciso entender as mudanças oriundas dos avanços tecnológicos. 

Antes da era digital, poucos grupos tinham o monopólio dos meios de comunicação. Logo, um número restrito de pessoas tomava as decisões sobre que tipos de conteúdo seriam consumidos. Isso gerava conversas unilaterais nos veículos tradicionais (como jornais, revistas, rádios e TVs), limitando as visões do que o grande público consumia. Também era comum gerar representações inadequadas da mulher, apelando para estereótipos muitas vezes sexistas e machistas.

Com a transformação digital, a comunicação em massa não é mais exclusividade desses grupos, e qualquer um pode ser produtor de conteúdo. Desse modo, o YouTube se transforma em um grande oceano de pessoas, assistindo a uma variedade enorme de vídeos sobre assuntos de interesse pessoal ou então para descobrir coisas novas. É nessa diversidade que entram as mulheres. Elas ocupam novas posições de trabalho, trazem novas conversas que abordam diversos pontos de vista e contam suas próprias histórias.

As mulheres têm se apropriado do Youtube não somente em busca de apoio, mas também como uma importante ferramenta de ação. Saiba mais no artigo de hoje!

Mulheres antes e depois do digital. Fonte: Google Think

Afinal, o que as mulheres fazem no Youtube?

Ao analisar o público que entra no Youtube, o Google Think identificou quatro padrões de interesse das pessoas, ou seja, pilares que representam o que elas buscam ao acessar a plataforma de vídeo.

 No caso das mulheres, são eles:

1) Entretenimento: 

Apesar de a proporção de homens e mulheres que buscam o Youtube como um aliado na hora de relaxar ser igual (39% cada), as mulheres buscam  vídeos que elevam o astral e emocionam;

2) Conhecimento: A curiosidade é o impulso inicial de muitas mulheres no Youtube. Entre elas, 37% buscam vídeos que tragam aperfeiçoamento nas suas capacidades, ganhando autonomia, reflexão e aprofundamento nos seus assuntos de interesse. Além disso, 72% acreditam que a plataforma funciona como uma grande biblioteca.

3) Conexão: A vontade de se conectar é um estímulo fundamental no reforço de vínculos entre as mulheres. A motivação não seria diferente no Youtube, onde 12% delas consomem vídeos para sentir pertencimento e para ter contato com temas relevantes para suas esferas sociais. Além disso, a pesquisa revela que as mulheres querem encontrar conteúdo que tenha a ver com seu gosto pessoal e encontrar pessoas para interagir com base nesses interesses;

4) Identidade: 12% das mulheres consomem os vídeos das plataforma para encontrar sua identidade. Além disso, 68% do público feminino concorda que o Youtube recomenda conteúdo compatível com os próprios interesses.

 

Esperamos que a força das mulheres no Youtube tenha ficado clara na leitura de hoje. Para continuar recebendo dicas e novidades sobre o tema, acompanhe nosso blog (toda semana tem post novo!). Veja também nosso conteúdo no Instagram, Facebook e Linkedin. Além disso, você pode assinar nosso feed de notícias para ler com seu leitor preferido. Se preferir receber as notícias direto na sua caixa de e-mails, é só assinar nossa newsletter. 

Artigos Relacionados